TRAPICHE DO ATEU

UM BLOG DE ECOLOGIA MENTAL. PARA REPENSAR O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A VIDA E COM O MUNDO.

terça-feira, 8 de março de 2011

GOVERNA QUEM VENCE



(Alma Tadema - egypcian chess players)


A arte do governo deverá estar com os legítimos representantes do povo, escolhidos ou indicados por diversas manifestações desse povo, acolhidos pelos partidos políticos com o consentimento desse povo, porque aquele partido detém, na visão do povo, a melhor proposta em determinado momento para a solução de seus problemas. Caberá ao partido viabilizar a candidatura; dar suporte teórico e ideológico aos candidatos; discutir planos de governo e projetos; dar, enfim, toda a assistência necessária ao candidato para se eleger e, se eleito, propiciar-lhe a melhor forma de conduzir e aplicar os planos e projetos gestados e discutidos na campanha. Serão, portanto, os partidos políticos os avalistas diante do povo de que o eleito governará segundo seus princípios éticos e ideológicos, cumprindo o programa anteriormente acordado e apresentado à população. Com a eleição de um candidato de determinado partido, deve ser constituída também a maioria no poder legislativo, através de distribuição proporcional de cadeiras ao vencedor e aos demais partidos, como forma de garantir a governabilidade. O partido vencedor tem o direito de aplicar o seu programa e governar segundo os ditames e diretrizes escolhidos. Não pode um prefeito, um governador ou presidente serem compelidos a fazer alianças espúrias para garantir aprovação de projetos de governo, simplesmente porque a oposição tem maioria nas casas legislativas. Ou uma minoria que impede a votação de matérias importantes. Isso é uma das tantas distorções dos sistemas atualmente vigentes, por isso acho que a única saída é proibir alianças e coligações, dando ao eleito a maioria das assembléias legislativas. A oposição não pode impedir um governante de aplicar suas idéias, seus programas, seus projetos, se foram eles os escolhidos pela maioria do povo. A missão dos partidos opositores é fiscalizar, reclamar, apontar desvios, nunca impedir que o governante escolhido pelo povo imponha seu programa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário