TRAPICHE DO ATEU

UM BLOG DE ECOLOGIA MENTAL. PARA REPENSAR O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A VIDA E COM O MUNDO.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

ANARQUIA E CIVILIZAÇÃO (QUASE) PERFEITA



(A. Andrew González - Pandora)





Aos textos precedentes, acrescento, depois de algum tempo, um adendo fundamental. Tenho pensado na sociedade ideal ou numa sociedade menos bárbara e mais civilizada. Mas, a sociedade realmente ideal – por mais utópica que isso possa parecer – será constituída em dois princípios: a ausência de deus e a ausência de leis. Ou seja, a anarquia quase absoluta. Quando o homem não precisar de deus ou de deuses, quando o homem não precisar mais de leis que regulem sua conduta, então teremos – aí, sim – o super-homem, o homem em sua grandeza absoluta, o homem totalmente desprovido de quaisquer resquícios de barbárie. O caminho será longo, tortuoso e complexo: passará por muitas tentativas de aperfeiçoamento dos sistemas democráticos, o que é absolutamente necessário, até chegar a uma regulação quase total de todos os atos humanos, numa espécie de ditatura legislativa, em que tudo, absolutamente tudo, será regulado, desde os atos mais comezinhos do dia a dia, até as atitudes heroicas e patrióticas. Então, a guerra terá sido suprimida do imaginário humano. E pouco a pouco, a noção de assassínio também será eliminada. E o homem – cansado de tantas regras e leis, purgados os seus intintos mais bárbaros – começará a dar conta de que o respeito ao outro é que deve ser a lei fundamental, não escrita, mas internalizada. Aí, sim, todos os regulamentos, todas as leis, todas as regras deverão ser queimados, já que a memória de deus ou de deuses terá sido definitivamente expurgada da mente humana, e o novo super-homem viverá, enfim, livre de todas as amarras e não precisará nem de deus nem de leis, porque terá alcançado a suprema noção de respeito a si, ao outro e à natureza, ao meio em que vive. Sem conceitos babacas de humanismo tosco, como o que existe na máxima cristã do “amai-vos uns aos outros”, o homem olhará seu semelhante e verá a vida que flui em suas veias como a mesma vida que flui no outro e que deve ser respeitada. O outro não mais será o inimigo, mas apenas o outro, com quem conviverá quando necessário, em harmonia, em contratos individuais de paz e de respeito. E essa última palavra, respeito, é que ditará todas as condutas, sem necessidade nem de intervenções e ameaças divinas nem de regras e leis estúpidas. Os governos não mais serão governos, mas apenas órgãos de administração dos bens públicos mantidos com o pagamento não mais compulsório, mas acordado em função das necessidades, dos impostos de todos os cidadãos, conforme a capacidade real de cada um. A anarquia absoluta é mais do que impossível, como se pode deduzir, mas a anarquia consensual, em que o cidadão sabe de suas responsabilidades perante o todo da sociedade e do meio-ambiente, essa será, sem dúvida o ponto culminante da evolução do homem como ser gregário, já que a perfeição – se e quando atingida – decretaria a própria extinção do homem, esteja ele onde estiver, nesse universo sem fim.



2 comentários:

  1. UMA SOCIEDADE SEM DEUSES NEM LEIS SÓ É POSSIVEL COM UM NIVEL MUITO AVANÇADO DE DNA, O QUE DEIXARIA DE FORA QUASE 100% DO MUNDO..KK - ALGUNS DIZEM QUE A VIDA SEM DEUSES FICARIA SEM GRAÇA; EU NÃO CURTO DEUSES, MAS ACHO LEGAL ALGUNS RITOS VISTOS CULTURALMENTE; AQUELES HINDUS POR EXEMPLO ME FASCINAM POR QUE ELES NÃO PEDEM PRA DEUSES CONSOLAREM ELES TIPO OS DA JUDEIA, ELES MESMO VÃO EM BUSCA DE METODOS QUE DEIXEM ELES MENOS PIORES EM ESTADO; QUANTO AS PSEUDOCIENCIAS JURIDICAS SÃO MESMO UM MAL POR QUE MUITOS ABUSAM DELAS PARA IMPOR DESVALORES ALOGENOS E SEUS DERIVADOS IRRACIONAIS QUE SÓ DESTRUIRAM ESTE HEMISFERIO POR DECADAS A FIO..OU SEJA, NÃO SE CONTENTAM EM TENTAR DIMINUIR OS SUB-CORTEXS BESTIAIS HOMICIDAS DO POS-MERDA A LA AL SHARYAH DO LESTE E CIA..

    ResponderExcluir
  2. ALIÁS, ESSA É DAS SUAS MENORES PREOCUPAÇÕES, VIDE QUE O MC SOLTA BANDIDOS E INCENTIVA CRIMES ENQUANTO DEMONIZA VALORES QUE NÃO SÃO COMPATIVEIS AO DESMIOLO ALOGENO MADE IN JUDEIA

    ResponderExcluir