TRAPICHE DO ATEU

UM BLOG DE ECOLOGIA MENTAL. PARA REPENSAR O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A VIDA E COM O MUNDO.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CONSTRUÇÃO DO FUTURO



(Gaston Casimir Saint-Pierre - Diana caçadora)




Muitas foram as tentativas de definir o homem. Fazem sucesso. Mas, eu creio que, na verdade, o homem é o único animal que constrói o futuro. A racionalidade humana está em poder prever as consequências de suas ações, em primeiro lugar, e, depois, as mudanças da natureza. Tal possibilidade levou-o a desenvolver a imaginação. Com a imaginação, o homem sonhou e pôde, assim, conquistar o mundo e sobrepor-se aos demais seres vivos. Exemplifiquemos. Um pensamento primário: há polpa sob a casca do coco. Um pensamento de construção do futuro: se eu quebrar a casca, eu me alimento. Daí à descoberta de ferramentas que pudessem quebrar a casca do coco, há centenas ou milhares de anos. Mas a semente estava lançada. Outro: se o tigre tem fome, ele mata. A corça não percebe a fome do tigre, apenas sua presença ameaçadora. Quando o homem percebeu a fome do tigre, entendeu que ele caçava porque tinha fome e, assim, ele pôde defender-se melhor. Ou aproveitar-se dela para caçá-lo. Ou, ainda, dar-lhe o alimento, para evitar ser morto. Enfim, um pensamento de construção do futuro formou-se na mente do homem. A maioria absoluta dos animais não tem essa construção do futuro: são apenas reativos. Agem em consequência de seus instintos ou das forças da natureza. Talvez alguns primatas já tenham a centelha desse pensamento. Por isso, são tão próximos do homem. E essa capacidade de construir o futuro trouxe a imaginação, que é, depois da racionalidade, a mais poderosa arma da inteligência humana. Sem imaginação, o homem não teria podido tornar-se gregário e construir as civilizações que lhe dessem proteção. Quando falo em civilizações, estou-me referindo a qualquer tipo de construção coletiva do homem. O senso de coletividade tornou-se o elemento fundamental de sobrevivência humana. Sem a formação de sociedades que evoluíram para organizações complexas, desde a simples reunião para a caça e o preparo dos alimentos até a construção de palácios e pirâmides, o homem provavelmente teria desaparecido diante das mudanças de clima e das intempéries da natureza. Somente a capacidade de construir o futuro e, com o uso da imaginação, prevenir-se contra as ameaças, transformou o homem no ser que hoje habita o planeta soberanamente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário