TRAPICHE DO ATEU

UM BLOG DE ECOLOGIA MENTAL. PARA REPENSAR O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A VIDA E COM O MUNDO.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

HUMANIZAÇÃO PELA ARTE



(Artemisia Gentileschi - self portrait)





A capacidade de criação humaniza o homem. Mas não o livra da barbárie. O instinto animal, de defesa e ataque, de sobrevivência, de lutar e matar, continua presente no código genético do homem. Modificá-lo levará ainda muito tempo. Enquanto isso, pode-se minimizar esse instinto através da arte. Só a arte pode conduzir o homem para a compreensão maior do que é o ser humano. Porque o homem só compreende a si mesmo quando refletido no espelho da arte. Espelho onde se registram todas as notas da sinfonia complexa da existência. O pouco de vida que o homem percebe deve-se à criação dos artistas de todas as épocas, esses seres de olhares perdidos no horizonte de si mesmos, obcecados pela idéias demiúrgicas de busca de valores onde ainda há apenas esboços de ética. Quando o homem obtiver a verdadeira ética do respeito a si mesmo, ao outro e à natureza, não precisará mais da ética e os artistas talvez até rareiem ou desapareçam do convívio humano, mas terão cumprido a mais sublime missão que é inculcar na mente do homem que é preciso eliminar os valores niilistas e negativos de vontade de morte ou de guerra. Mas a inexistência do artista num mundo utópico de paz e harmonia não significa sua expulsão do paraíso: apenas creio que todos os homens se tornarão capazes da criação artística e não precisarão de profetas ou intérpretes para sentimentos e pensamentos que não mais se voltarão contra eles mesmos. No entanto, essa visão é, como já disse, utópica. A perfeição não parece pertencer à espécie humana, nem à natureza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário