TRAPICHE DO ATEU

UM BLOG DE ECOLOGIA MENTAL. PARA REPENSAR O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A VIDA E COM O MUNDO.

terça-feira, 13 de abril de 2010

A MAGIA INÚTIL DOS DEUSES



(Goya - Saturno)


Eu não sou ateu porque não creio na existência de um deus. Porque deus existe, sim, criado pelos homens para satisfazer suas necessidades de magia. Eu sou ateu porque acho inútil a crença em deus, tão inútil quanto dançar para fazer chover. Eu sou ateu porque acho que a humanidade não precisa de deus ou de deuses. Eles são parte do imaginário humano tanto quanto o saci-pererê e a mula-sem-cabeça. Só que o saci-pererê e a mula-sem-cabeça, pelo que eu sei, não exigem do homem templos para seu culto nem orações por suas bênçãos nem dinheiro por suas graças. E os deuses que o homem inventou exigem isso e muito mais. Além de ocupar uma grande parte da capacidade de imaginação e de invenção do cérebro humano, que poderia e deveria ter sido orientado para coisas muito mais importantes e úteis e mais belas que a crença e o culto em divindades que, se formos pensar com objetividade, nunca trouxeram nada de aproveitável para o conhecimento humano. Trouxeram, sim, divisões e exclusões, maldições e guerras. Contribuíram para aprofundar diferenças e provocar ódios. Impediram e impedem descobertas e criações que tornariam melhor a vida humana. Separam países e famílias e pessoas. Pregam amor e semeiam ódio. Pregam o perdão e exigem a vingança. Ameaçam os seus seguidores e até mesmo os não seguidores com o fogo do inferno e outras desgraças. Enfim, as divindades que o homem criou e a quem presta cultos são divindades medonhas, em suas exigências e doutrinas. Sugam do homem o entendimento mais claro e lógico e, por isso mesmo, mais belo e verdadeiro, do mundo que o cerca. Impedem uma visão mais simples da vida e a desvalorizam com a crença em espíritos, almas ou vida além da morte. Acabam, por isso, sendo deuses da morte e não da vida. Livrar-se deles pode ser um exercício difícil e complexo, mas não há saída para o homem senão deixar de cultuar esses deuses malditos. Ou amenizar sua influência em sua vida. Ou, ainda, humanizá-los de tal modo que eles passem a permitir que o homem seja dono de si mesmo. Mas, nesse caso, o paganismo acabaria por prevalecer e os deuses pagãos são tão perniciosos quanto os deuses cristãos, muçulmanos, judeus ou de qualquer outro povo moderno. A saída é mesmo botar porta fora todos os resquícios de magia inútil prometida pelos deuses.



3 comentários:

  1. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    TE SIGO TU BLOG




    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE
    ISAIAS EDSON


    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO, .

    José
    ramón...

    ResponderExcluir
  2. acredito, sim que deus existe, nao tenho motivos para nao acrediatar, mas cada um acredita no que quer, deus nao é um deus inventado pelo ser humano! ele é uma energia que ninguem aqui na terra é evoluido suficiente para saber, mas somos evoluidos o bastante para crer em Deus!

    ResponderExcluir
  3. acho que deus nao deveria ser conparado a um deus inventado pelo ser humano, deus, é uma energia como diz no comentario aa cima, Deus é um profeta Divino!

    ResponderExcluir